16 de novembro de 2021

MANIFESTO EM FÚRIA/HECATOMBE/CADAVERNÁCULO III (3way Split Zine - 60 pgs. p&b, Setembro/ 2021)

Se o conceito de um split zine é algo novo ou não, eu não recordo, porém a ideia é muito foda, uma vez que originalmente os splits entre as bandas eram uma alternativa pra falta de recurso que as mesmas, ou seus respectivos selos tinham pra investir em um lançamento e isso reflete 669% a realidade de quem lida com esse tipo de publicação impressa... 

Essa é a primeira edição desse split 3 way fanzine que é oriundo de Teresina/PI e conta com os editores Elton Lima, André DeaThrash e Carlos Alberto, ou seja ambos já experientes com outros escritos individuais ou como colaboradores (ao menos o Elton e o Carlos já que eu desconhecia as atividades do outro editor que me disseram ser membro da fudidíssima banda Devil). 

O Manifesto em Fúria tem aquela pegada no layout que te fará lembrar do antigo Visão Underground, que foi um dos zines mais ativos no cenário nacional, (pergaminho este que também tive a honra de já ter sido um colaborador) e continua com a essência de outrora, buscando as bandas mais submersas no abismo, seja  aqui no país ou fora dele. 

O Hecatombe Zine eu não sacava, mas curti bastante, e a foto do editor André com uma camisa do Havok ficou ultra fodástica. E por fim temos o Cadavernáculo na sua edição III... 

Eu teria dado nota 10 a esse manuscrito 3 way se não fosse apenas por um único detalhe; os 3 zines no geral começaram e prosseguiram do caralho, com tudo que se espera de um fanzine; entrevistas com bandas fora do comum, flyers, resenhas de todo tipo de formato (em especial as tapes, que embora seja um formato que não curto, foi resgatado nesses reviews muita coisa foda do cenário nacional que se perdeu), mas o que estragou a porra toda foi o encerramento com uma entrevista patética (agora os mimizentos vão me xingar, embora insultos quando vindo desse pessoal eu encaro como elogio), pois não entendi ainda o por que daquela entrevista nas últimas páginas com aquela criatura "não binária” ou sei lá como eles se identificam, pois pareceu nada mais nada menos que uma tentativa de lacração já que nada ali soava Heavy Metal de verdade PARA MIM, pois a entrevista que foi conduzida por uma mina que nunca ouvi falar tinha conteúdo e respostas cheias de mensagenzinhas  humanistas de merda (mimimi). 

Isso só mostra o quanto o metal está cheio de universitário curioso querendo fazer militância nesse meio. Sei lá, eu preferia que fechassem com uma banda HM de verdade. Uma dica, procure por VULTOS MURMÚRIOS, os caras estão com um debut CD FODA!!. Existem coisas bem melhores pra se fechar as páginas de um fanzine, já outras não passam de esperdício de tempo, dinheiro, papel e nada mais! 

Bom senso, ou melhor, senso do ridículo passou longe ali, já que fanzine não é manual de militância política, embora muitos queiram fazer parecer que sim. Uma pena, pois o Carlos Alberto é um editor inteligente e criativo, mas tá se perdendo nesse mar de merda politicamente correta que já encheu o saco (isso pra quem tem e se orgulha de ter saco, o que não sei se é o caso dele)... 

Mas ainda assim eu achei foda quando ele foi refutado por alguns entrevistados em suas tentativas de lacração, por exemplo, nas entrevistas do Krabathor (eu já curtia demais essa banda e passei a gostar mais ainda depois dessa heheh) e com uma banda de Portugal que não recordo o nome agora, já que estou sem o zine aqui em mãos (putz, esqueci na casa da minha mulher) nesse momento que estou a digitar, pois estou sem PC e fazendo isso de uma lan house (sim, elas ainda existem hehe), ou seja, gastando tempo e grana, coisa que só quem curte Metal de verdade faz, quanto ao resto... 

Mas, tirando essa crítica que fiz, saliento que e  o trabalho do Elton e do André estão muito acima dessas críticas e pra mim foram eles  que de fato tornaram esse zine fantástico e não o deixaram perder totalmente o rumo. Quanto ao Carlos Alberto, quem sou eu pra me meter na sua vibe, mas cara, ainda há tempo de se sair dessa merda; ouvi dizer que tu é formado em História (assim como eu) e também já compactuei com algumas dessas ideologias de zé buceta que tu andas espalhando, então, abra o olho e pula fora dessa merda e foca no que tem de ser focado, pois você tem boas idéias. 

No mais, o zine com mais de 60 páginas tem outras entrevistas interessantes na qual destaco: Asphyxiated, Sanatório, Evil Corpse, Incestus Kadavericus, Arauto da Morte Records (entrevista foda), Rottenbroth...  

Porra, apenas 30 reais com frete incluso, coisa que se gasta até mais só em uma sentada num bar... Se tu ainda é um MetalHead que valoriza a verdadeira velha escola, vai pegar esse fanzine, ou então continue lacrando e ostentando na sua rede social de merda!  


Para pegar:
manifestoemfuriazine@gmail.com / andredeaththrash@gmail.comauroranebron@yahoo.com.br  

(Por N. Ripper;  Outubro de 2021, ao som do Malevolent Creation - “The Ten Commandments”... Injected Sufferage). 

Nenhum comentário: